segunda-feira, 9 de junho de 2008

AMO-TE



E acabamos assim!


As forças estancadas,
suores gélidos em corpos quentes,
a sede copiosa de uma paixão que por si só nos extenua,
e ao mesmo tempo nos hidrata!



Como é bom amar,
sentir e fazer sentir,
ouvir e partilhar…
e, continuar a amar!!!




2 comentários:

EDUARDO disse...

Encontrei neste poema o amor em profundo sentir...
Lindão!
Beijo...

Paradoxos

Jorge Cardoso disse...

sinuoso erotismo em que as palavras transformam o momento em suor de paixão...

abraço...mano!